Feridas na
    Invisibilidade

Encerrado o prazo para envio de relatos.
CRITÉRIOS PARA SELEÇÃO DOS RELATOS DE EXPERIÊNCIA
1) Ser profissional ou acadêmico graduando da área da saúde.
2) Estar inscrito no Congresso referido.
3) Enviar os relatos de experiência para o e-mail feridas2017@mci-group.com para avaliação dos pareceristas, 
até 25 de setembro de 2017.
4) Anexar no envio dos relatos, o Termo de Consentimento Livre e esclarecido (download abaixo, junto ao instrumento para seleção dos 30 melhores casos).
5) Serão selecionados até 2 relatos de experiência por profissional ou estudante.

Obs.: o instrumento de avaliação deve ser completado em sua totalidade, com a finalidade de identificar os fatores predisponentes à cicatrização de uma lesão (idade, doença de base, nutrição, co morbidades, acesso aos Serviços de saúde).
APRESENTAÇÃO DOS CASOS SELECIONADOS
  1. Avaliar o contexto no qual o paciente está inserido (baseado no instrumento anexo).
  2. Adotar a lesão, envolvendo o paciente no processo para sua reabilitação.
  3. Relatar os produtos utilizados, alternativas de tratamento, número de trocas do curativo em todas as etapas da lesão.
  4. Apresentar no máximo 5 imagens da lesão desde a fase inicial até a fase de cicatrização (maturação).
  5. Observar o tempo para apresentação da lesão adotada, não devendo ultrapassar 15 min.
Realização
Organização
O PROJETO
O avanço no estudo sobre feridas e seu tratamento, proporcionou o desenvolvimento de inúmeros sistemas de classificação que podem ser empregados para avaliar as mesmas, como por exemplo: a etiologia, mecanismo de lesão, graus de contaminação e de perda do tecido.​​

Contudo, é clara a percepção de que uma "identidade" própria é assumida, tornando-se um seguimento da classificação das feridas com fisiopatologia diferente das agudas, com necessidade de cuidados específicos dirigidos à sua causa de cronicidade e natureza complexa, ocasionando sofrimento e dor, podendo ser classificadas como metáfora "as feridas têm alma", onde esta expressa "o corpo e alma", ou seja, o equilíbrio do indivíduo.

Nessa perspectiva, acompanhar a evolução criteriosa dos pacientes com feridas constitui um desafio profissional, porém é imperioso criar planos preventivos dirigidos à especificidade da população que não tem acesso a curativos e coberturas, seja do procedimento básico, os  hidratantes, ao avançado como a terapia por pressão negativa.
Dada a premissa e atualidade da temática, a Enfermeira Neida Luiza Pellenz junto a Sociedade Brasileira de Enfermagem em Feridas e Estética lançou no dia 25 de novembro de 2015 no V Congresso Brasileiro de Prevenção e Tratamento de Feridas, o projeto  Adote uma Lesão, com a campanha Feridas têm Alma. ​